quarta-feira, 7 de setembro de 2011

É possível experimentar alegria e inspiração durante todo o tempo?






Imagine a seguinte situação:

Ao acordar pela manhã logo um estado de alegria lhe toma conta, tudo é belo e agradável, teu coração é pleno de gratidão, e por o pé fora da cama já é para ti uma dádiva.

Ao encontrar cada pessoa em seu caminho sua alegria se multiplica, há uma grande felicidade de poder compartilhar através da sua atenção, amor, carinho, e da sua gentileza porque ela simplesmente transborda de dentro de ti e espontaneamente se espalha a tua volta.

Não há nenhuma preocupação capaz de abalar o seu estado emocional, para toda situação você exerga uma saída e por de trás de cada acontecimento uma lição a ser aprendida, tudo lhe é útil, e mesmo a dor ou a perca não é capaz de verdadeiramente te abalar.

Você torna-se uma referência para muitas pessoas, e só com a sua presença é capaz de transmitir ânimo, força, esperança, paz e alegria a todos.

Tua paz e tua alegria não dependem de acontecimentos externos, se você conseguir aquele emprego ou o teu negócio der lucro,  ótimo; se não conseguir não se sentirá frustrado, reconhecerá que não era o momento e que precisa se preparar mais.

Se você foi bem naquela prova, muito bom! Se não foi, tudo bem; você estudará mais para a próxima vez.

Aquela pessoa que você achou lindíssima não te deu bola? Tudo bem, chegará o seu momento de viver um novo, significativo e edificante relacionamento!

Agora, pelo contrário, você foi bem na prova, teus negócios prosperaram ou conquistou aquela vaga e aquela pessoa que você mais queria se apaixonou por ti, ótimo! Você simplesmente continuará sendo a pessoa feliz, alegre, inspirada, que você já era e agora poderá copartilhar com mais pessoas a tua volta o teu maravilhoso ser!

Ou seja, tua paz e alegria interna, acompanhada de inspiração e criatividade é contínua e não depende de acontecimentos externos.

Você consegue imaginar vivendo desta forma?

Você talvez possa dizer: - Mas eu não acredito que isto seja possível! Tudo bem! Se você não for capaz de ao menos conceber por meio da sua imaginação, como seria viver num estado assim, ele realmente não será possível para ti.

Agora se você acredita nesta possibilidade, então basta traçar a sua meta, o seu objetivo e trabalhar no sentido de criar condições favoráveis para que este estado interno seja exteriorizado.

Sim! Exteriorizado, porque o estado de graça, de paz e de bem-aventurança já existem dentro de você aqui e agora, no entanto, eles se encontram embotados, soterrados, esquecidos, desestimulados.

Basta desfazer todos os bloqueio que te impedem de viver através da alegria plena para que a alegria plena se manifeste através do teu ser e se extenda a todos através de ti.

O caminho para esta realização é o caminho da espiritualidade, o caminho da reforma íntima, da superação de paradigma e do encontro com um novo eu, e o desfazer é um dos trabalhos mais importantes, para que aquilo que já é em sua essência possa se manifestar livremente e espontaneamente, deixando para trás os padrões e condicionamentos que são onde se encontram as causas dos infortúnios humanos.

É através da realização deste caminho que se tornam possível a alegria e a inspiração contínua! Por meio da conexão com a Grande Vida e a superação do pequeno ego humano, através do abondono do sacríficio e, por meio, da aceitação do estado de graça!

Cabe a você escolher!


fonte: http://dedentrodamatrix.blogspot.com/

Não pense duas vezes - Pe. Fábio de Melo






Pe. Fábio de Melo 

A felicidade é um susto. Chega na calada da noite, na fala do dia, no improviso das horas. Chega sem chegar, insinua mais que propõe... Felicidade é animal arisco. Tem que ser adimirada à distância porque não aceita a jaula que preparamos para ela. Vê-la solta e livre no campo, correndo com sua velocidade tão elegante é uma sublime forma de possuí-la.

Felicidade é chuva que cai na madrugada, quando dormimos. O que vemos é a terra agradecida, pronta para fecundar o que nela está sepultado, aguardando a hora da ressurreição.

Felicidade é coisa que não tem nome. É silêncio que perpassa os dias tornando-os mais belos e falantes. Felicidade é carinho de mãe em situação de desespero. É olhar de amigo em horas de abandono. É fala calmante em instantes de desconsolo.

Felicidade é palavra pouca que diz muito. É frase dita na hora certa e que vale por livros inteiros.

Eu busco a frase de cada dia, o poema que me espera na esquina, o recado de Deus escrito na minha geladeira... Eu vivo assim... Sem doma, sem dona, sem porteiras, porque a felicidade é meu destino de honra, meu brasão e minha bandeira. Eu quero a felicidade de toda hora. Não quero o rancor, não quero o alarde dos artifícios das palavras comuns, nem tampouco o amor que deseja aprisionar meu sonho em suas gaiolas tão mesquinhas.

O que quero é o olhar de Jesus refletido no olhar de quem amo. Isso sim é felicidade sem medidas. O café quente na tarde fria, a conversa tão cheia de humor, o choro vez em quando.

Felicidades pequenas... O olhar da criança que me acompanha do colo da mãe, e que depois, à distância, sorri segura, porque sabe que eu não a levarei de seu lugar preferido.

A felicidade é coisa sem jeito, mas com ela eu me ajeito. Não forço para que seja como quero, apenas acolho sua chegada, quando menos espero.
E então sorrio, como quem sabe que, quando ela chega, o melhor é não dispersar as forças... E aí sou feliz por inteiro na pequena parte que me cabe.

O que hoje você tem diante dos olhos? Merece um sorriso? Não pense duas vezes...

O nosso encanto de cada dia



Pe. Fábio de Melo
Ainda bem que o tempo passa! Já imaginou o desespero que tomaria conta de nós se tivéssemos que suportar uma segunda feira eterna?

A beleza de cada dia só existe porque não é duradoura. Tudo o que é belo não pode ser aprisionado, porque aprisionar a beleza é uma forma de desintegrar a sua essência. Dizem que havia uma menina que se maravilhava todas as manhãs com a presença de um pássaro encantado. Ele pousava em sua janela e a presenteava com um canto maravilhoso que não durava mais que cinco minutos. A beleza era tão intensa que o canto a alimentava pelo resto do dia. Certa vez, ela resolveu armar uma armadilha para o pássaro encantado. Quando ele chegou, ela o capturou e o deixou preso na gaiola para que pudesse ouvir por mais tempo o seu canto.

O grande problema é que a gaiola o entristeceu, e triste, ele deixou de cantar.

Foi então que a menina descobriu que o canto do pássaro só existia porque ele era livre. O encanto estava justamente no fato de não o possuir. Livre, ele conseguia derramar na janela do quarto a parcela de encanto que seria necessário para que a menina pudesse suportar a vida. O encanto alivia a existência... Aprisionado, ela o possuia, mas não recebia dele o que ela considerava ser a sua maior riqueza: o canto!

Fico pensando que nem sempre sabemos recolher só encanto... Por vezes, insistimos em capturar o encantador, e então o matamos de tristeza.

Amar talvez seja isso: Ficar ao lado, mas sem possuir. Viver também.

Precisamos descobrir, que há um encanto nosso de cada dia que só poderá ser descoberto à medida em que nos empenharmos em não reter a vida.

Viver é exercício de desprendimento. É aventura de deixar que o tempo leve o que é dele, e que fique só o necessário para continuarmos as novas descobertas.

Há uma beleza escondida nas passagens... Vida antiga que se desdobra em novidades. Coisas velhas que se revestem de frescor. Basta que retiremos os obstáculos da passagem. Deixar a vida seguir. Não há tristeza que mereça ser eterna. Nem felicidade. Talvez seja por isso que o verbo "dividir" nos ajude tanto no momento em que precisamos entender o sentimento da tristeza e da alegria. Eles só são suportáveis à medida em que os dividimos...

E enquanto dividimos, eles passam, assim como tudo precisa passar.

Não se prenda ao acontecimento que agora parece ser definitivo. O tempo está passando... Uma redenção está sendo nutrida nessa hora...

Abra os olhos. Há encantos escondidos por toda parte. Presta atenção. São miúdos, mas constantes. Olhe para a janela de sua vida e perceba o pássaro encantado na sua história. Escute o que ele canta, mas não caia na tentação de querê-lo o tempo todo só pra você. Ele só é encantado porque você não o possui.

E nisto consiste a beleza desse instante: o tempo está passando, mas o encanto que você pode recolher será o suficiente para esperar até amanhã, quando o passaro encantado, na hora em que você menos imaginar, voltar a pousar na sua janela.

domingo, 10 de julho de 2011

Aceitar e ir além...




Quanto mais resistimos às coisas mais elas resistem nas nossas vidas e reclamar só gasta a energia que poderíamos usar para liberar o que nos prende em ciclos de repetições que parecem não ter fim...

Muitas vezes, por não aceitar a perfeição do universo que sempre nos coloca no lugar certo onde vamos ter o aprendizado que precisamos, nos revoltamos e achamos que somos vítimas indefesas das situações...

Resistimos aos acontecimentos, à nossa situação que parece problemática, seja em que área for, e nesses pontos onde temos dificuldade, acreditamos que não podemos fazer nada para transformar e reclamamos. Queixamos aqui e ali, e nos colocamos como coitadinhos, resistindo a tudo que não preenche o que idealizamos...

Não aceitamos as coisas porque temos expectativas sobre como elas deveriam ser expectativas que nos impedem de fluir com o que realmente é o adequado ao nosso crescimento... Julgamos as pessoas e situações por um padrão que acreditamos ser o mais adequado e tudo que foge disso acreditamos que não está certo.

Quase nunca nos lembramos que somos colocados nas situações para aprendermos com elas e que os problemas trazem oportunidades de liberação de coisas que nos prendem e limitam...

Aceitação é uma palavra mágica que possibilita a liberação e enquanto não aceitamos a nossa situação no presente, não podemos mudar nada... Aceitar não é conformar, mas perceber que a nossa realidade é com tem que ser e a partir daí a mudança é possível...

Deepak Chopra nos aconselha a praticar a aceitação, dizendo: "hoje aceitarei pessoas, situações, circunstâncias, todos os fatos como eles se manifestarem". Saber que o momento é como deve ser. Dizer a si mesmo: "minha aceitação será total e completa; verei as coisas como elas são e não como eu gostaria que fossem"...

Já vivi situações onde pude perceber claramente que quando aceitei a situação sem nenhuma resistência ela mudou como por mágica, às vezes tão rapidamente que parecia um milagre... por um momento de profunda aceitação da realidade.. ela pode se transformar e nos surpreender...

Muitas vezes nem percebemos que estamos resistindo às coisas,porque é tão natural reclamar do que não está bom, que nem notamos que com isso estamos indo contra o fluxo do universo. Quando você resiste seria como se tentasse segurar com um esforço enorme o movimento natural da vida e, nem nos damos conta que o que nos parece ser ruim ou negativo, pode ser justamente o que estamos precisando para a nossa evolução.

Seja em que área for que se manifeste o problema... aí tem também um potencial enorme de aprendizado e, muitas vezes, é justamente nesse ponto, que está nossa maior força...

Aceitar o que foge ao nosso controle e às nossas expectativas abre as portas para encararmos o novo para encontrarmos as oportunidades que se encontram escondidas nas aparentes limitações. Aceitar é uma forma de ir além do que é conhecido e de confiar que o presente sempre é perfeito, mesmo que em princípio não pareça.


Rubia A. Dantés

sábado, 9 de julho de 2011

Ser forte

Ser forte, não é colecionar vitórias, mas não se sentir fracassado, ante o que pareça derrota.

A força verdadeira não se dimensiona pelo impacto demolidor dos punhos, mas pela ternura construtora das mãos que acariciam e dos dedos que confortam.

Ser forte, não é ter a arrogância de não chorar, mas ter a coragem de parar o próprio pranto a fim de consolar as lágrimas de quem mais está sofrendo.

Ser forte, não é caminhar impávido com a coroa de louros à fronte, mas é cair coroado de espinhos e fazer tudo para levantar-se e para ajudar a que o irmão se levante.

Ser forte, não é não perceber a escuridão que ficou atrás da última lâmpada que se apagou quando se teve de sair do sonho, mas é a bravura de acender nova chama,de ligar de novo a luz, de abrir a janela da alma para sentir outra vez a claridade da manhã.

Ser forte, não é ser insensível, mas sentir, compreender aquilo que não tem palavras para completamente traduzir e interpretar.

Muitas vezes se exige mais força para proteger a pétala do que para derrubar a árvore imensa.

Bendita seja a força do ombro amigo que ampara a cabeça cansada, dos braços que se enlaçam para enfrentar a fúria dos acontecimentos e o uivar do furacão, do coração que reanima no momento difícil, do pensamento que não se entrega, da alma que não para de lutar.

Ser forte é oferecer a própria fraqueza para somar-se a fraqueza de quem se feriu e, juntas,as duas debilidades se farão uma verdadeira e brava força que nada e ninguém conseguirá dobrar.

Ser forte, é mesmo quando com medo, procurar transmitir coragem; é,mesmo na dúvida, transmitir a verdadeira fé; é fechar a porta ao pesadelo e abrir o ser por inteiro ao sonho maior que se chama esperança.

Ser forte, é às vezes, sair catando os pedaços do corpo pisado e da alma marcada, e juntá-los todos, com bravura e carinho, para ficar de novo de pé, com o rosto molhado pela chuva que cai e beijado pelo vento suave que passa.

Ser forte

é ser gente

e ser gente

é ser forte… 
Rhámar I'Húmistan

Gratidão



 
 
 
Agradeço pela vida, apesar da morte, que hoje sei é apenas uma transformação.

Agradeço pela alegria, apesar da tristeza, que tanto me fez chorar... e também pensar.

Agradeço pelo riso, apesar das lágrimas, mas sei que vieram para lavar minha alma.

Agradeço pela realidade, apesar das ilusões, que hoje sei só me mantinham presa na dor.

Agradeço pelas mentiras, que hoje sei me levaram a encontrar a verdade.

Agradeço por tantas conquistas, apesar dos erros, que agora sei foram para me fazer valorizar mais o caminho.

Agradeço pela harmonia, apesar das brigas, que me trouxeram sofrimento, mas também crescimento.

Agradeço pela saúde, apesar de tantas doenças que poderiam ter me acometido.

Agradeço pelo respeito que aprendi a ter pelas outras pessoas e por seus mais sagrados sentimentos, apesar de muitas vezes não ter sido respeitada.

Agradeço por ter perdoado a todos que me machucaram, e peço perdão a quem eu possa ter machucado.

Agradeço por tantos caminhos que percorri, me machuquei, mas consegui sair, com ajuda de algumas poucas pessoas, que agradeço eternamente, e exatamente por isso hoje estou no caminho da luz!

Agradeço pelos meus pais que me trouxeram à vida. E a Deus por ter me mantido no caminho do bem.

Agradeço pelos meus amados avôs, verdadeiramente meus pais, que apesar de não estarem mais presentes fisicamente, me deixaram a melhor herança: amor!
 
Agradeço também às pessoas que tanto me machucaram, pois elas me tornaram muito mais forte e me fizeram buscar outros caminhos.

Agradeço a tantas pessoas que esperei amor e carinho, e não recebi, mas aprendi que não se pode dar aquilo que não se tem. Mas também agradeço por cada pessoa que passou na minha vida, e outras que ainda estão presentes, e me doaram amor.

Como foi difícil aprender tudo isso!

Agora me encontro livre! Livre das ilusões, dores, lágrimas, mentiras, tristeza, erros, culpas, hoje enfim estou liberta!

E por tudo hoje eu só agradeço, por ter me tornado quem eu sou.

Eu, assim como você, somos seres de luz, que queremos nos tornar pessoas melhores, para quando formos embora, que consigamos ir apenas em paz!

E por tudo isso hoje eu agradeço, e espero me tornar cada vez mais quem eu simplesmente sou: um ser de luz!

Essa é a minha carta de agradecimento ao pouco que tenho aprendido. Agora o que você acha de escrever a sua?



Rosemeire Zago 


Ser feliz ou ter razão, você escolhe!

 




No mundo de hoje, as pessoas acabam por deixar a felicidade de lado, para escolherem estarem certas. Isso é fato. Mas por que será que isso acontece?

Não é tão difícil entender a mente humana, é algo de senso comum.

Nossa personalidade tem algumas características em alta, vou citar duas: orgulho e egoísmo. Isso mesmo, dois componentes essenciais para a sua infelicidade. O mais interessante é que as pessoas ainda continuam perguntando:

- Por que não sou feliz?

E a resposta está tão perto, mas elas não enxergam, ou não querem enxergar. Nos relacionamentos afetivos não deve haver espaço para orgulho e egoísmo, pois se for assim, você estará num emaranhado de dor. Ser feliz significa que você deve seguir um caminho mais flexível, pensar a dois. Mas você pode ter razão, e seguir firme e dura em seu propósito com o coração amargurado é claro.

Agora pare tudo e veja.

Hoje você tem uma escolha maravilhosa a fazer: ser feliz ou continuar sendo cabeça dura e achar que a razão é que fala mais alto. Em geral, os homens são mais cabeça dura e mantém essa postura de estarem certos, de ter a razão até o fim, isso vão colocá-los em uma situação de puro sofrimento, pode ter certeza. Mas existem também muitas mulheres que preferem se abdicar da felicidade para terem razão.

Mas o que fazer então?

Às vezes é preciso realizar uma ou outra renúncia em nome do amor e da felicidade. O mais interessante é que você somente aprende isso depois de alguns tombos e atropelos, embora tenha gente que nem assim aprenda. O universo pode lhe dar essa lição de duas formas: pelo amor ou pela dor. Você é que fará a sua escolha.

Se for pelo amor, será bem simples, apenas abra seus olhos, respire fundo, renuncie algumas vezes em nome da harmonia, peça desculpas, e siga em frente, eu te digo: vale a pena.

Se for pela dor, parabéns, você estará imersa na mais profunda angustia, você só tem a perder, e o que perderá é justamente a felicidade, depois não reclame.

Por isso, eu lhe digo, hoje é seu dia, não deixe passar!

Se você brigou com alguém e ainda tem a teimosia dentro de você, criando círculos em sua mente e feridas em seu coração, abandone isso. Chegue mais perto, com aquele jeito especial, diga: me desculpe, ou, eu te amo. Eu tenho certeza, de uma coisa: ter razão é a última coisa que você precisa, quando a felicidade pode estar em suas mãos.


Paulo Valzacchi 

domingo, 3 de julho de 2011

E então me invocareis, e ireis, e passareis a orar a mim, e eu vos ouvirei.

 
 
 
 
"E então me invocareis, e ireis, e passareis a orar a mim, e eu vos ouvirei. Buscar-me-eis, e me encontrareis quando me buscardes de todo o vosso coração. Serei achado de vós, diz o SENHOR, e farei mudar a vossa sorte." (Jr. 29: 12-14)

Nossa Consciência está plenamente desperta e já somos filhos de Deus




"Não há sequer uma única nova verdade a ser revelada, nem mesmo uma nova consciência a ser desenvolvida. Nossa Consciência está plenamente desperta e já somos filhos de Deus, criados a Sua imagem e semelhança. O que nos falta é tão somente percebermos esta realidade nos desfazendo dos nossos condicionamentos."

Torne-se seu próprio guia interior


Não pense com a cabeça. Realmente, não pense de maneira alguma. Apenas mova-se. Tente isso em algumas situações.


Será difícil, porque o velho hábito será de começar a pensar. Você terá que estar alerta : não pensar, mas sentir interiormente o que está vindo à mente.

Você pode ficar confuso muitas vezes porque você não será capaz de saber se isso está vindo do guia interno ou da superfície da mente. Mas logo você conhecerá o sentimento, a diferença.

Quando alguma coisa vem do âmago, parte do seu umbigo para cima. Você pode sentir o fluxo, o calor, vindo do umbigo para cima. Sempre quando sua mente pensa, isso é só na superfície, na cabeça, e então vai para baixo.

Se sua mente decidiu algo, então você precisa forçá-lo para baixo. Se seu guia interior decide, desse modo alguma coisa borbulha em você. Isso procede do núcleo mais profundo de seu ser em direção a mente. A mente o recebe, mas isso não é da mente. Isso vem do além – e é por isso que a mente fica assustada com isso. Isso é confiável porque vem de trás – sem qualquer razão, sem nenhuma prova. Isso simplesmente borbulha.

Sempre quando você fica perplexo numa situação e você não pode ver como sair disso, não pense; apenas fique num profundo não-pensar e permita seu guia interior lhe guiar. No princípio você se sentirá receoso, inseguro, mas logo, quando você chega cada vez a conclusão certa, quando você chega cada vez a porta certa, você irá reunir coragem e se tornará confiante.

Se essa confiança acontecer, chamo isso de fé. Essa é realmente a fé religiosa – a confiança no guia interior. Racionalizar faz parte do ego. É você acreditando em si mesmo. No momento que você for fundo dentro de si mesmo, você chegou na própria alma do universo.

Seu guia interior é parte da direção divina. Quando você a segue, você segue o divino ; quando você segue a si mesmo, você está complicando as coisas, e você não sabe o que está fazendo. Você pode pensar que você é muito sábio. Você não é.

A sabedoria procede do coração, não do intelecto. Sabedoria procede do seu ser mais profundo, isso não é da cabeça. Corte sua cabeça, fique sem cabeça – e siga o ser, o que quer que, para onde quer que isso lhe conduza. Mesmo que isso lhe leve para o perigo, vá para o perigo, porque esse será o caminho para você e seu crescimento. Através desse perigo você irá crescer e tornar-se maduro.

Osho, em "The Book of Secrets"
Imagem por ruurmo
 
FONTE:

O homem não é nada mais do que aquilo que faz a si próprio.

O homem não é nada mais do que aquilo que faz a si próprio.
Jean-Paul Sartre

O valor do homem

O valor do homem é determinado, em primeira linha, pelo grau e pelo sentido em que se libertou do seu ego.
Albert Einstein

segunda-feira, 13 de junho de 2011

O Amor é uma montanha russa.

"O Amor é uma montanha russa.
Todos temos um pouco de medo,
mas vale a pena arriscar,
porque só a emoção vivida,
pode ser lembrada".
Tere Penhabe  

Será uma verdade a teoria das almas gêmeas?


“No sagrado mistério da vida, cada coração possui no Infinito a alma gêmea da sua, companheira divina para a viagem à gloriosa imortalidade. Criadas umas para as outras, as almas gêmeas se buscam, sempre que separadas. A união perene é-lhes... a aspiração suprema e indefinível.

Milhares de seres, se transviados no crime ou na inconsciência, experimentaram a separação das almas que os sustentam, como a provação mais ríspida e dolorosa, e, no drama das existências mais obscuras, vemos sempre a atração eterna das almas que se amam mais intimamente, envolvendo umas para as outras num turbilhão de ansiedades angustiosas; atração que é superior a todas as expressões convencionais da vida terrestre. Quando se encontram no acervo real para os seus corações – a da ventura de sua união pela qual não trocariam todos os impérios do mundo, e a única amargura que lhes empana a alegria é a perspectiva de uma nova separação pela morte, perspectiva essa que a luz da Nova Revelação veio dissipar, descerrando para todos os espíritos, amantes do bem e da verdade, os horizontes eternos da vida”
 
Emmanuel.
 
 
 

sexta-feira, 10 de junho de 2011

O Jardim Secreto de Danyela.

(Presente precioso que o Universo me deu através de um SER de Luz na terra chamado Rodrigo.)



Obrigada amigo Rodrigo pelo carinho desde vídeo tão cheio de preciosidades.
Sinto-me com um sentimento de sublimidade no coração, por ter tido a honra nessa terra de encontrar sua alma cósmica cheia de luz.
A Magnitude de seu poema é reflexo do seu interior, pelas imagens e música, nota-se o gosto pelo sagrado.
Sensibilidade extremada, dom de ver o belo nas pessoas...
Oh doce alma pura!
Deixo um alegre sorriso, aquele que exala das profundezas de meu Ser...
Namastê

Danyela Cintra

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Voices - Quando não há Palavras



Não há palavras Que possam expressar A intensidade do amor Que sinto por você...Queria inventar Uma palavra inédita e especial, Que eu pudesse recitar pra você, Em meio a poesias apaixonadas...Enquanto eu não invento essa palavra... Olhe nos meus olhos, Você vai encontrar um amor inédito só pra você...
Eu te amo, mesmo quando não há palavrasEu te amo, mesmo quando não há sorrisosEu te amo, te amo...Eu preciso te dizer: eu te amo!!!

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Ah como eu queria....




 

Como eu queria que meu corpo viajasse na velocidade do meu pensamento, ele viajaria até você.
E então, te levaria para o meu mundo
que nesse instante seria o nosso.
Te mostraria meus recantos mais secretos
Paisagens sagradas.
Lugares magníficos imaginados pelo meu coração.
De mãos dadas caminharíamos a sorrir.
Deslumbrados pela presença um do outro.
Ah, como eu queria.
Que meu corpo viajasse na velocidade do meu pensamento.
Iria até você num instante.
E em um segundo sentirias a plenitude dos meus sentimentos
Sentiria a força de meu coração.
O calor do meu corpo junto ao seu.
 Ah como eu queria....

Texto: MR CLXDR JSS


Agradeço ao Universo pelas infinitas bênçãos que recebo todos os dias.
Agradeço ao Universo por cada gesto de amor e carinho que recebo dos Seres que compartilho minha jornada.
Agradeço ao Universo por esse instante que foi eternizado através desse Poema!
Amo-te meu querido, obrigada pelo singelo Presente.
Danyela Cintra

quarta-feira, 1 de junho de 2011

CALMA...

 
 
 
Deixe as águas se assentarem; você verá as estrelas e a lua espelhadas no seu Ser.
- Rumi -

Idéias absurdas na sua mente....

O amor é a única religião, o único Deus, o único mistério que tem que ser vivido, compreendido. Quando o amor for compreendido, você terá compreendido todos os sábios e todos os místicos do mundo.
Não é uma coisa difícil. É tão simples quanto as batidas do seu coração ou a sua respiração. Ele vem com você, não é concedido pela sociedade. E esse é o ponto que eu quero enfatizar: o amor vem com o nascimento, mas não vem plenamente desenvolvido, é claro, assim como todo o resto. A criança tem que crescer.
A sociedade se aproveita dessa lacuna. O amor da criança leva tempo para crescer; enquanto isso a sociedade aproveita para condicionar a mente da criança com ideias falsas sobre o amor.
Na época em que está pronto para explorar o mundo do amor, você já está abarrotado com tantas bobagens sobre o amor que já não há muita esperança de que seja capaz de encontrar o autêntico e descartar o falso.
Por exemplo, todas as crianças, em todos os lugares, ouvem milhares de vezes que o amor é eterno: depois que ama uma pessoa você a amará para sempre. Se você ama uma pessoa e mais tarde sentir que não a ama mais, isso significa que nunca a amou. Ora, essa é uma ideia muito perigosa. Ela lhe dá uma ideia de um amor permanente e, na vida, nada é permanente. As flores desabrocham pela manhã e, à noite, já murcharam.
A vida é um fluxo contínuo; tudo está mudando, se movimentando. Nada é estático, nada é permanente. Estão lhe transmitindo uma ideia de amor permanente que destruirá toda a sua vida. Você vai esperar um amor permanente de uma pobre mulher e a mulher esperará um amor permanente de você também.
O amor se torna secundário, o permanente se torna mais importante. E o amor é uma flor tão delicada que não pode ser forçada a ser permanente. Você pode ter flores de plástico, que é o que as pessoas têm — casamento, família, filhos, parentes, tudo de plástico. O plástico só tem uma coisa muito espiritual: é permanente.
O amor verdadeiro é uma incerteza assim como a vida é uma incerteza. Você não pode afirmar que estará aqui amanhã. Você não pode sequer dizer que estará vivo daqui a pouco. A sua vida está mudando continuamente — desde a infância até a juventude, a meia-idade, a velhice, a morte, ela continua mudando.
O amor de verdade também mudará.
É possível que, se você for uma pessoa iluminada, o seu amor tenha transcendido as leis costumeiras da vida. Ele nem está mudando nem é permanente; simplesmente é. Não é mais uma questão de como amar; você se tornou o próprio amor, por isso o que quer que faça é amoroso. Não que você faça algo especificamente que seja amor; faça o que fizer, o seu amor se derramará sobre isso. Mas antes da iluminação o seu amor será exatamente como todo o resto: ele mudará.
Se você compreender que ele mudará, que a sua parceira pode se interessar por outra pessoa e você terá que ser compreensivo, amoroso e ter consideração por ela, deixando que ela siga o caminho que manda o coração — essa é a oportunidade que você tem de provar à sua parceira que a ama. Você a ama; mesmo que ela passe a amar outra pessoa, isso é irrelevante.
Com entendimento, é possível que o seu amor se torne um caso de uma vida inteira, mas lembre-se de que ele não será permanente. Terá altos e baixos, passará por mudanças.
É muito simples de entender. Quando começou a amar, você era muito jovem, sem nenhuma experiência; como o seu amor pode continuar igual se você se tornou uma pessoa madura? O seu amor também amadureceu. E quando você ficar mais velho o seu amor também terá um gosto diferente.
O amor continuará mudando, e de vez em quando ele precisará de uma oportunidade para mudar. Numa sociedade saudável, será possível lhe dar essa oportunidade, sem que o relacionamento seja rompido.
Mas também é possível que você tenha que mudar muitas vezes de parceiro ao longo da vida. Não há nenhum mal nisso. Na realidade, mudando muitas vezes de parceiro ao longo da vida, a sua vida ficará mais rica; e se todo mundo seguisse o que estou lhe dizendo sobre o amor, o mundo inteiro ficaria mais rico.
Mas uma ideia equivocada destruiu todas as possibilidades. No momento em que o seu parceiro olhar para outra pessoa, só olhar, os olhos dele mostrarão essa atração e você ficará fora de si. Você precisa entender que, se um homem perder o interesse pelas mulheres bonitas que vê na rua, pelas atrizes belíssimas do cinema, é isso o que você quer; que ele não se interesse por ninguém a não ser você.
Mas você não entende a psicologia humana. Se não se interessar pelas mulheres na rua, do cinema, então por que ele se interessará por você? O interesse dele pelas mulheres é a garantia de que está interessado em você, de que ainda há uma possibilidade de que o seu amor possa continuar.
Mas estamos fazendo justamente o oposto. Cada homem está tentando dar um jeito para que sua mulher não se interesse por mais ninguém além dele; ele tem de ser o único foco de atenção da mulher, o seu único interesse. As mulheres estão exigindo a mesma coisa, e ambos estão deixando o parceiro maluco. Focar a atenção numa única pessoa só pode deixar você maluco.
Para ter uma vida mais leve, mais divertida, você precisa ser flexível. Tem que se lembrar que a liberdade é o valor mais precioso e, se o amor não está lhe dando liberdade, então não é amor.
A liberdade é um critério: qualquer coisa que lhe der liberdade está certa e qualquer coisa que destruir a sua liberdade está errada. Se você conseguir se lembrar desse pequeno critério na vida, aos poucos começará a tomar o rumo certo em tudo: nos relacionamentos, nas meditações, na criatividade, naquilo que você é.
Deixar de lado velhos conceitos, conceitos vis. Por exemplo, na Índia, milhões de mulheres morreram queimadas vivas nas piras funerárias dos maridos. Isso mostra que a possessividade do marido é tamanha que ele não quer apenas possuí-la enquanto está vivo, mas tem medo do que acontecerá quando ele estiver morto! Ele não poderá fazer nada depois disso, então é melhor levá-la com ele.
E note que isso só se aplicava às mulheres — nem um único homem saltou na pira funerária da mulher em dez mil anos. O que isso significa? Significa que só as mulheres amam os homens e os homens não amam as mulheres? Significa que as mulheres não têm vida própria? A vida dela se resume na vida do marido? Quando ele morre, a vida dela também chega ao fim?
Essas ideias absurdas foram incutidas na nossa mente. Você tem que fazer uma faxina constante. Sempre que deparar com bobagens na sua mente, limpe-a, jogue-as fora. Se você estiver limpo e a sua mente, vazia, você será capaz de encontrar soluções para todos os problemas que surgirem na sua vida.

Osho, em "A Essência do Amor: Como Amar Com Consciência e Se Relacionar Sem Medo"

A dança chamada AMOR - OSHO

 
 
 
 
Eu nunca disse que o amor é destruído pelo casamento. Como pode o casamento destruir o amor? Sim, ele é destruído no casamento, mas é destruído por você, não pelo casamento. Ele é destruído pelos parceiros.

Como pode o casamento destruir o amor? É você que o destrói porque você não sabe o que é o amor. Você finge que sabe, você simplesmente tem esperança de saber; você sonha que sabe, mas você não sabe o que o amor é. Amor tem que ser aprendido; é a maior arte que existe.

Se as pessoas estão dançando e alguém lhe pede, “Venha e dance”, você diz, “Não sei dançar”. Você não salta e começa a dançar e deixa todos pensarem que você é um grande dançarino. Você irá apenas provar que é um bufão. Você não irá provar que é um grande dançarino. A dança precisa ser aprendida – a graça dela, seus movimentos. Você precisa treinar o corpo para isso.

Você não vai e começa a pintar apenas porque a tela, o pincel e as tintas estão lá disponíveis. Você não começa a pintar. Você não diz, “Tudo que é necessário está aqui, então eu posso pintar”. Você pode pintar, mas assim você não será um pintor.

Você encontra uma mulher – a tela está presente. Você imediatamente se torna um amante; você começa a pintar. E ela começa a pintar em você. É claro que ambos demonstram serem tolos – tolos pintados – e cedo ou tarde vocês entendem o que está acontecendo. Contudo, você nunca pensou que o amor fosse uma arte. Você não nasce com a arte; ela não tem nada a ver com seu nascimento. Você precisa aprendê-la. É a arte mais sutil.

Você nasce somente com a capacidade. É claro, você nasce com um corpo; você pode ser um dançarino porque você tem um corpo. Você pode movimentá-lo e pode ser um dançarino, mas dançar precisa ser aprendido. Muito esforço é necessário para aprender a dançar. E dançar não é tão difícil porque só depende de você.

O amor é muito mais difícil. É dançar com outra pessoa. O outro também é necessário para saber o que é dançar. Ajustar-se com alguém mais é uma grande arte. Criar uma harmonia entre duas pessoas... duas pessoas implicam em dois mundos diferentes.

Quando dois mundos se aproximam, uma colisão está fadada a acontecer se você não souber como harmonizar. Amor é harmonia. E felicidade, saúde, harmonia, tudo procede do amor. Aprenda a amar. Não tenha pressa de casar, aprenda a amar. Primeiro se torne um grande amante.

E qual é a exigência? A exigência é que um grande amante está sempre pronto para dar amor e não se sente incomodado se isso irá retornar ou não. Isso retorna sempre; está na própria natureza das coisas. É como se você fosse para as montanhas e você canta uma canção, e os vales respondem. Você viu algum ponto de eco nas montanhas, nos montes? Você grita e os vales gritam, ou você canta e os vales cantam. Cada coração é um vale, se você derramar amor sobre ele, ele irá responder.

A primeira lição do amor é não pedir por amor, apenas dar. Torne-se um doador.

As pessoas estão fazendo exatamente o oposto. Mesmo quando dão, eles dão apenas com a idéia de que o amor deve retornar. É uma barganha. Eles não compartilham, não partilham livremente. Eles partilham com uma condição. Eles vão observando pelo canto do olho se o amor retorna ou não. Pessoas muito pobres... eles não conhecem o funcionamento natural do amor. Você simplesmente derrama, isso virá.

E se não vier, nada com o que se preocupar porque um amante sabe que amar é ser feliz. Se isso acontecer, ótimo; assim a felicidade é multiplicada. Mas mesmo que nunca retorne, no próprio ato de amar você fica tão feliz, tão extático, quem se importa se isso tem retorno ou não?

Amor tem sua própria felicidade intrínseca. Isso acontece quando você ama. Não há nenhuma necessidade de esperar por resultado. Apenas comece a amar. Aos poucos você verá que muito mais amor está voltando para você. A gente só ama e vem a conhecer o que é o amor somente amando. Assim como a gente aprende a nadar somente nadando, amando a gente ama.

As pessoas são muito mesquinhas. Elas estão esperando por algum grande amante aparecer, então elas amarão. Elas permanecem fechadas, recuadas. Elas apenas esperam. De algum lugar uma Cleópatra virá e então eles irão abrir seus corações, mas nessa hora já esqueceram completamente como abri-lo.

Não perca nenhuma oportunidade de amar. Mesmo passeando numa rua, você pode ser amoroso. Mesmo para com o mendigo você pode ser amoroso. Não há necessidade de dar a ele alguma coisa; você pode pelo menos sorrir. Isso não custa nada, mas seu próprio sorriso abre seu coração, torna seu coração mais vivo.

Segure a mão de alguém – de um amigo ou de um estranho. Não espere só amar quando a pessoa certa aparecer. Assim a pessoa certa nunca irá aparecer. Continue amando. Quanto mais você amar, maior é a possibilidade da pessoa certa aparecer, porque seu coração começa a florescer. E um coração florescendo atrai muitas abelhas, muitos amantes.

Você tem sido treinado de uma maneira bem errada. Primeiro, todo mundo vive sob uma impressão errada de que todo mundo já é um amante. Apenas por nascer, você pensa que é um amante. Não é tão fácil assim. Sim, existe uma potencialidade, mas a potencialidade precisa ser treinada, disciplinada. Uma semente existe, mas ela tem que se tornar uma flor.

Você pode continuar carregando sua semente; nenhuma abelha virá. Você já viu alguma vez abelhas vindo para as sementes? Não sabem elas que sementes podem se tornar flores? Mas elas só chegam quando as sementes se tornam flores. Torne-se uma flor, não permaneça uma semente.

Duas pessoas, separadamente infelizes, criam mais infelicidade para cada um quando se juntam. Isso é matemático. Você era infeliz, sua esposa era infeliz e ambos têm esperanças de que ficando juntos serão felizes? Isso é... isso é uma aritmética tão simples, como dois mais dois são quatro. Tão simples assim. Não faz parte de nenhuma matemática complicada; isso é muito simples, você pode contar nos seus dedos. Ambos serão infelizes.

Cortejar é uma coisa. Não dependa do cortejar. De fato, antes de você se casar, livre-se do cortejar. Minha sugestão é que casamento deve acontecer após a lua de mel, nunca antes disso. Só se tudo correr bem, só então o casamento deve acontecer.

A lua de mel depois do casamento é muito perigosa. Tanto quanto eu sei, noventa e nove por cento dos casamentos acabam quando a lua de mel acaba. Mas então você foi apanhado, assim você não tem como fugir. Então toda a sociedade, a lei, o tribunal – se você deixar a esposa todo mundo fica contra você, ou se a esposa lhe deixar todos ficarão contra ela.

Portanto, toda a moralidade, a religião, o padre, todos estão contra você. Na verdade, a sociedade devia criar todas as barreiras possíveis para o casamento e nenhuma barreira para o divórcio. A sociedade não devia permitir que as pessoas casassem tão facilmente. O tribunal deveria criar barreiras – viva com a mulher por pelo menos dois anos, desse modo o tribunal pode lhe permitir casar-se.

Agora mesmo estão fazendo exatamente o contrário. Se você quer se casar, ninguém pergunta se você está preparado ou se é apenas um capricho, só porque você gosta do nariz dela. Que tolice! A pessoa não pode viver só pelo nariz longo. Após dois dias o nariz será esquecido. Quem olha para o próprio nariz da esposa? A esposa nunca parece bonita, o marido nunca parece bonito. Uma vez que se torna familiarizado, a beleza desaparece.

Duas pessoas devem ser permitidas viverem juntos tempo bastante para ficarem familiarizadas, conhecidos um para com o outro. E mesmo que eles queiram se casar, não devia ser permitido. Assim os divórcios desapareceriam do mundo. Os divórcios existem porque os casamentos são errados e forçados. Os divórcios existem porque os casamentos são realizados num clima romântico.

Um clima romântico é bom se você for um poeta... e os poetas não são tidos como bons maridos ou boas esposas. De fato, poetas são quase sempre solteiros. Eles ficam por aí mas nunca são apanhados e desse modo seu romance permanece vivo. Eles vão escrevendo poesias, lindas poesias. A pessoa não devia se casar com um homem ou com uma mulher num clima poético. Deixe que o clima de prosa venha, então estabeleça. Porque a vida do dia a dia é mais como prosa do que como poesia. A pessoa deve ficar bastante amadurecida.

Maturidade significa que a pessoa não é mais um tolo romântico. A pessoa entende a vida, entende a responsabilidade da vida, entende os problemas de viver junto com uma pessoa. A pessoa aceita todas essas dificuldades e assim decide viver com uma pessoa. A pessoa não está esperando que haverá somente paraíso, todas as rosas. A pessoa não está esperando bobagem; ela sabe que a realidade é dura. É áspera. Existem rosas, mas entre elas, existem muitos espinhos.

Quando você se torna alerta para todos esses problemas e ainda assim você decide que vale a pena arriscar e ficar com a pessoa ao invés de ficar só, então se case. Dessa maneira o casamento nunca irá matar o amor, porque esse amor é realístico.

O casamento só pode matar o amor romântico. E o amor romântico é o que as pessoas chamam amor de filhote. A gente não deve depender disso. A gente não deve pensar nisso como nutrição. Pode ser apenas como um sorvete. Você pode comê-lo de vez em quando, mas não dependa disso. A vida tem que ser mais realística, mais em prosa.

O casamento em si nunca destrói coisa alguma. Casamento simplesmente traz à tona o que quer que esteja escondido em você; expõe isso. Se o amor estiver escondido por trás de você, dentro de você, o casamento o expõe. Se o amor era só fingimento, apenas uma isca, então cedo ou tarde tem que desaparecer. E assim surge sua realidade, sua feia personalidade. O casamento é simplesmente uma oportunidade, o que quer que você tenha para mostrar irá aparecer.

Não estou dizendo que o amor é destruído pelo casamento. O amor é destruído pelas pessoas que não sabem amar. O amor é destruído porque em primeiro lugar o amor não é. Você esteve vivendo num sonho. A realidade destrói esse sonho. Do contrário amor é algo eterno, parte da eternidade. Se você crescer, se você conhecer a arte, e você aceita as realidades da vida-amor, então isso vai crescendo a cada dia. O casamento se torna uma tremenda oportunidade de crescer no amor.

Nada pode destruir o amor. Se ele estiver lá, vai crescendo. Mas meu sentir é que, em primeiro lugar o amor não está presente. Você engana a si mesmo; alguma outra coisa estava lá. Talvez o sexo estivesse lá, o apelo sexual estava lá. Assim isso vai ser destruído, porque uma vez que você amou uma mulher, então o apelo sexual desaparece, porque o apelo sexual é apenas com o desconhecido.

Uma vez que você prova do corpo da mulher ou do homem, então o apelo sexual desaparece. Se seu amor era somente apelo sexual assim ele está fadado a desaparecer. Portanto nunca interprete mal o amor por alguma outra coisa. Se o amor for realmente amor...

O que quero dizer quando falo “amor verdadeiro”? Quero dizer que só estando na presença do outro você subitamente se sente feliz, apenas estando juntos você fica extático, apenas a presença do outro preenche algo profundo em seu coração... alguma coisa começa a cantar em seu coração, você entra numa harmonia. Somente a presença do outro lhe ajuda a ficar junto; você se torna mais individual, mais centrado, mais baseado. Isso é amor.

O amor não é uma paixão, não é uma emoção. Amor é um profundo entendimento que alguém de alguma maneira lhe completa. Alguém lhe torna um círculo completo. A presença do outro valoriza sua presença. O amor dá liberdade para ser você mesmo; não é possessivo.

Então, observe. Nunca pense em sexo como amor, senão você ficará decepcionado. Fique alerta e quando você começar a sentir com alguém que só a presença, a pura presença – nada mais, nada mais é necessário; você não pede coisa alguma – só a presença, apenas porque o outro está, é bastante para lhe fazer feliz... alguma coisa começa a florescer dentro de você, mil e um lótus brotam... assim você está apaixonado e então você pode passar através de todas as dificuldades que a realidade cria.

Muitas angústias, muitas ansiedades – você será capaz de superar todas elas, e seu amor estará florescendo cada vez mais, porque todas essas situações se tornarão desafios. E seu amor, superando-os, ficará cada vez mais forte.

Amor é eternidade. Se estiver presente, então ele vai crescendo cada vez mais. O amor conhece o princípio, mas não conhece o fim.

Osho, em "The Discipline of Transcendence"

Fonte: Osho.com

O VERDADEIRO SIGNIFICADO DO AMOR

 


«Que significa amar?

Amar um ser é esperar nele para sempre.



Amar um ser é não o julgar; julgar um ser é identificá-lo com aquilo que dele se conhece: «Agora, conheço-te. Agora julgo-te. Sei aquilo que vales»... Isto representa matar um ser.

Amar um ser é esperar sempre dele algo de novo, algo de melhor.

Se bem leio no Evangelho, poderei concluir da maneira pela qual Jesus saiu ao encontro dos homens e os amou e enriqueceu, que Ele sempre os considerou crianças, crianças que não haviam crescido convenientemente, que não haviam sido suficientemente amadas.

Cristo nunca os identificou com aquilo que tinham feito até então.

Pensai, por exemplo, em Maria Madalena: Cristo esperava dela algo que ninguém tinha conseguido descobrir e amou-a tanto, perdoou-lhe tão generosamente que dela obteve o amor mais puro e mais fiel e, admirados, todos à sua volta comentavam: «Será possível que ela seja assim?! Tínhamo-la julgado, pensávamos conhecê-la, haviamo-la condenado e tudo porque nunca fora convenientemente amada...»

Cristo amou-a com tal perfeição que a tornou aquilo que os outros, pobres e desconfiados, demasiado avarentos de amor, não tinham sido capazes de suscitar nela.

Cristo aguardava, esperava tudo de toda a gente. Fazia surgir, ao Seu redor, vocações, amizades e generosidades; e todos os que supunham conhecer de longa data aqueles personagens, ficavam atónitos: «Como? Zaqueu tornou-se generoso? Maria Madalena tornou-se pura e fiel? Tomé tornou-se crente? Mateus, o publicano, feito Apóstolo? E todos esses pobres, todos esses pecadores se transformaram em apóstolos e santos?... Como é possível?»

Alguém os tinha amado, tinha acreditado neles.

Alguém não havia repetido o que nós dizemos: «Não há nada a fazer dele, nada se conseguirá. Tentei tudo. Não quero tornar a vê-lo. Não volto a escrever. É perder tempo...»

Cristo foi ao encontro de cada um deles, dizendo: «Só porque não foi amado o bastante é que se tornou assim mau. Se o amassem mais, seria melhor. Se tivessem sido mais delicados, mais generosos, mais afectuosos para com ele, ele teria conseguido libertar-se daquela armadura, daquela carapaça de que se revestiu para não sofrer tanto»...


Amor eterno...

 
 
 
 
 
 
Amor... Palavra sagrada vive no coração daqueles que dele fizeram a sua semente, que germina e floresce em seu íntimo...
Às vezes faz sorrir com seus encantos e surpresas;
Às vezes faz chorar diante do abismo da indiferença do silêncio... Da ausência;
“Amor”: Não é preciso falar, mas apenas sentir já e o bastante para avaliar o seu significado;
É mais precioso do que riquezas e projeta os nossos sonhos, os nossos desejos;
Está presente em cada carícia, em cada palavra que reflete a felicidade de possuir este grande sentimento;
Muitas vezes nasce de um sorriso, um simples olhar, um toque apenas; que desperta a nossa alma, que nos engrandece e nos realiza...
Amor com quatro letras pode escrevê-lo e com inúmeras podemos decifrá-lo e expressá-lo...
Amor força que move o mundo, gira em torno de duas vidas que se completam inteiramente.
É a essência que permanece em nossos corpos que satisfaz os nossos desejos;
Amor sentimento profundo que permanece e se restabelece por simplesmente ser eterno...
(Valéria Lopes)

Como vai você - Daniela Mercury

terça-feira, 31 de maio de 2011

SINCRONICIDADE-Lei da Atração em Ação

APRENDI - LEI ATRAÇÃO

Simplesmente ame porque...




A inteligência sem amor te faz perverso.
A justiça sem amor te faz implacável.
A diplomacia sem amor te faz hipócrita.
O êxito sem amor te faz arrogante.
A riqueza sem amor te faz avarento.
A docilidade sem amor te faz servil.
A pobreza sem amor te faz orgulhoso.
A beleza sem amor te faz ridículo.
A autoridade sem amor te faz tirano.
O trabalho sem amor te faz escravo.
A simplicidade sem amor te deprecia.
A lei sem amor te escraviza.
A política sem amor te deixa egoísta.
A vida sem amor não tem sentido.
Por isso......
Simplesmente AME e deixe-se AMAR!!!

(autor desconhecido

Amor e aceitação


O amor é a linguagem, e a linguagem do amor é silenciosa. Quando dois amantes estão em profunda harmonia, quando suas vibrações estão simplesmente sincronizadas uma com a outra no mesmo comprimento de onda, então há o silêncio, então os amantes não gostam de conversar. Quando você está num profundo amor, pode segurar a mão do seu amado ou amada, mas permanecerá em silêncio... em completo silêncio, sem nem sequer uma ondulação. Nesse lago sem ondulações da sua consciência, algo é transmitido, a mensagem é dada. Trata-se de uma mensagem sem palavras.
O Tantra diz que a pessoa precisa aprender a linguagem do amor, a linguagem do silêncio, a linguagem da presença um do outro, a linguagem do coração, a linguagem das entranhas. Nós aprendemos uma linguagem que não é existencial, uma linguagem alienígena; utilitária, é claro, que preenche um certo propósito, mas no que se refere a investigação mais elevada da consciência ela é uma barreira. No nível mais baixo, tudo bem; é claro que no dia-a-dia você precisa de uma certa linguagem, e o silêncio não servirá. Mas quando você se move mais fundo e mais alto, a linguagem não servirá.
O Tantra diz para aceitar tudo o que você é. Você é um grande mistério de muitas energias multidimensionais; aceite isso e se porte com cada energia com uma profunda sensibilidade, com consciência, com amor, com compreensão. Mova-se com ela! Então cada desejo se torna um veículo para ir além, cada energia se torna uma ajuda; então este mesmo mundo é o nirvana e este mesmo corpo é um templo, um templo sagrado, um lugar sagrado.
O Tantra diz que não existe nenhuma dualidade. Se existir a dualidade, você não pode uni-las e, não importa quanto você tente, elas permanecerão duas; não importa como você as uma, elas permanecerão duas e a luta continuará, o dualismo permanecerá.
O Tantra diz que não há dualidade, que ela é apenas uma aparência. Portanto, por que ajudar a aparência a se fortalecer? O Tantra pergunta por que ajudar essa aparência a de dualidade a se fortalecer? Dissolva-a neste exato momento! Seja UM! Através da aceitação você se torna UM, e não através da luta. Aceite o mundo, aceite o corpo, aceite tudo o que for inerente a ele. Não crie um centro diferente em você mesmo, pois para o Tantra esse centro diferente nada mais é do que o ego. Não crie um ego e simplesmente fique consciente do que você é. Se você lutar, então o ego estará presente.
O Tantra diz para não lutar! Então não há possibilidade para o ego... Se entendermos o Tantra, haverá muitos problemas, porque para nós, se não houver luta, haverá apenas permissividade. Para nós, nenhuma luta significa permissividade. Mas para o Tantra a permissividade então é a “nossa” permissividade. O Tantra diz para ser permissivo, mas com consciência.
Você está com raiva... O Tantra não dirá para não ficar com raiva, mas para ficar inteiramente com raiva, mas esteja consciente. O Tantra não é contrário a raiva, mas é apenas contrário ao estado de sono espiritual e à inconsciência espiritual. Esteja consciente e esteja raivoso, e este é o segredo do método: se você estiver consciente, a raiva é transformada e se torna compaixão. A mesma raiva, a mesma energia, se tornará compaixão.
Se você lutar com ela, não haverá possibilidade de acontecer a compaixão. Não haverá raiva porque você a reprimiu, mas também não haverá nenhuma compaixão, porque somente a raiva pode ser transformada em compaixão. Se você for bem sucedido em sua supressão, o que é impossível, então não haverá sexo, mas também não haverá amor, porque com o sexo morto, não há energia para crescer em amor. Você ficará sem sexo, mas também ficará sem amor, e então todo o ponto é perdido, porque sem amor não há divindade, sem amor não há libertação, sem amor não há liberdade.
O Tantra diz que essas mesmas energias dever ser transformadas; em outra palavras: se você for contra o mundo, não haverá nirvana, porque esse mesmo mundo é o que deve ser transformado no nirvana. Então você estaria contra as energias básicas que são a fonte. Dessa maneira, a alquimia tântrica diz para não lutar, para se amigável com todas as energias que lhe foram dadas. Acolha-as, sinta-se grato por você sentir raiva, por você ter sexo, por você ter ganância. Sinta-se grato porque essas são as fontes ocultas, e elas podem ser transformadas, podem ser abertas. E, quando o sexo é transformado, ele se torna amor, e o veneno desaparece, o que é feio desaparece.
A semente é feia, mas quando se torna viva, ela brota e floresce, e então há beleza.
Para o Tantra, tudo é sagrado. Lembre-se disto: para o Tantra tudo é sagrado, nada é profano. Olhe para isso desta maneira: para uma pessoa irreligiosa, tudo é profano; para uma pessoa pretensamente religiosa, uma coisa é sagrada e outra é profana. O Tantra diz que tudo é sagrado, e é por isso que não podemos entendê-lo. Ele é o ponto de vista não-dual mais profundo – se pudermos chamá-lo de ponto de vista. Ele não é, porque todo ponto de vista fatalmente é dual. Ele não é contra coisa alguma; portanto, não é um ponto de vista, mas uma unidade sentida, uma unidade vivida.
.
(Osho – partes extraidas do Tantra, O caminho da aceitação)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...